Games

A faculdade chinesa de eSports

A maioria dos professores não ficaria impressionada ao descobrir um aluno jogando algum game em sua classe. Mas em uma escola no leste da China, acredite, jogar games é algo é obrigatório, parte de um esforço para treinar campeões de esportes eletrônicos e explorar a indústria em expansão.

As mensalidades da escola são de cerca de US$ 2.708 e os estudantes podem se inscrever para um curso de eSports de três anos. No primeiro ano do curso, metade do tempo do aluno é dedicado a dominar jogos como Overwatch, Counter-Strike e League of Legends. A outra metade do tempo é para aprender teoria para ter sucesso na indústria de eSports.

Após o primeiro ano, as aulas são divididas; os melhores jogadores concentram seus esforços em se tornarem jogadores profissionais, enquanto todos os outros trabalham para se tornarem organizadores de eventos, treinadores, apresentadores de eSport e promotores.

O raciocínio por trás disso tudo é que os eSports já são muito populares. De acordo com a Newzoo, uma empresa de pesquisa de mercado, a indústria de eSport gerará US$ 905 milhões de receita globalmente em 2018. Somente na China, há 260 milhões de pessoas jogando ou assistindo a competições de eSport anualmente.

A força dos esporte virtuais é tão grande, que já existem campanhas para inclusão da modalidade nas olimpíadas já a partir do ano de 2022. Se considerarmos as receitas e as quantidades de pessoas envolvidas, parece que os videogames entraram de vez para a economia moderna, bem como da cultura.