Internet das Coisas

Como a inteligência artificial está mudando o varejo

inteligência artificial

Uma das maiores novidades de San Francisco, a cidade mais ligada ao universo da tecnologia de dos EUA, se chama Standard Store, que é o braço físico da start-up do ramo varejista Standard Cognition.

À primeira vista, trata-se de uma loja de conveniência como outra qualquer, a não ser pelo fato de que nela praticamente não existem funcionários e todas as transações são finalizadas através de um aplicativo para smartphones – o tal do Standard Cognition.

Os clientes da Standard fazem check-in assim que entram nas lojas, e a partir daí começam a ser monitorados por uma infinidade de câmeras dotadas de inteligência artificial enquanto circulam por seus corredores.

Todos os itens que eles colocam em seus respectivos carrinhos são registrados por meio dessa checagem em vídeo, que também serve para evitar furtos, que são comuns quando falamos de varejos.

Pra pagar a conta, basta sair do local, já que o app cobra tudo diretamente em um cartão de crédito previamente cadastrado em sua plataforma pelos usuários. Outras startups que oferecem os mesmo serviço estão pipocando nos EUA, onde o comércio vive uma revolução como em nenhum outro lugar do mundo.

Tudo isso é mais uma tentativa de se automatizar compras feitas em varejo. Uma vez que é cada vez maior o número de compradores, sobretudo em países ricos, que preferem escolher desde os produtos de necessidade básica aos de luxo pela internet e sem sair de casa. Sendo assim, tornar uma simples ida ao mercadinho da esquina interessante para esse público pode servir para salvar muitos negócios.