Mercado de Trabalho

Site de empregos usa inteligência artificial em entrevistas

inteligência artificial

Sem dúvidas a entrevista de emprego é um dos momentos mais importantes em um processo de recrutamento e seleção. Afinal, é nesse ponto que muitos candidatos são selecionados para uma vaga de emprego. Foi pensando nisso que o portal Vagas.com.br acaba de desenvolver uma ferramenta de vídeo entrevistas com inteligência artificial e aprendizado de máquina.

Essa nova solução pretende reduzir o tempo de seleção e ajudar empresas a encontrar a pessoa ideal durante a fase de entrevistas.

O candidato deve gravar o seu material, como se estivesse em uma entrevista de emprego presencial, e enviar para a equipe do site. A partir da tecnologia aplicada à ferramenta, o profissional que recebe e analisa o conteúdo tem à disposição informações valiosas como: nuvem de palavras com os termos mais usados durante a gravação do vídeo, roteiro completo de todas as palavras que o candidato usou na gravação, análise de expressões faciais, entre outros recursos. Isso ajuda a entender a afinidade do candidato com a vaga proposta.

“Digamos que a entrevista seja para um cargo da área financeira, na medida em que o candidato usa termos inerentes à área, como ‘orçamento’, ‘negociação’, ‘balanço’ etc, tudo isso fica registrado no roteiro e ajuda o RH a compreender um pouco mais da experiência do candidato nos primeiros contatos. Essas palavras mostram se o candidato tem aderência à vaga proposta.

A ferramenta possui basicamente três pilares: o primeiro visa a diminuir o esforço operacional do RH, já que economiza tempo não tendo exigência de entrevistas presenciais. Em consequência disso está o segundo pilar, que visa a economia e redução de custos, já que tudo pode ser feito virtualmente. Já o terceiro ponto é o ranqueamento de candidatos, com essa ferramenta, fica mais fácil definir qual candidato está mais apto a determinada vaga.

Agora gostaríamos de saber o que você acha sobre o assunto. Será que uma máquina é o suficiente para realmente selecionar o melhor candidato ou será que um sistema não é tão eficiente, por não possuir um “fator humano” na equação? Deixe nos comentários a sua opinião!